Páginas

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

DENTRO



Até noventa e dois
eu apenas ouvia
tudo o que faziam
aqueles caras todos
que giravam teimosos
nos ruídos dos meus ossos.
E então conheci outros
aqueles caras todos
e fui ler as mudas agonias
dos poetas e bissextas poesias.
Encontrei muito no pouco
e muito pouco no boquirroto.

Quero mesmo dizer o que sinto:
acho que sou um poeta de ouvido.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça o seu comentário

Marlos Degani

Minha foto
Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, Brazil
Participa do grupo de poesia Desmaio Públiko em Nova Iguaçu. É jornalista, escreve crônicas periódicas no sítio do Baixada Fácil www.baixadafacil.com.br e lançou de seu primeiro livro de poemas chamado Sangue da Palavra em 2007 e um CD de poemas chamado MARLOS DEGANI - ATÉ AGORA em 2009, com a sua poesia completa (édita e inédita). Lançou em set/14 seu segundo volume de poemas chamado INTERNADO no formato e-book, já disponível nas melhores virtuais. Contato: marlosdegani@gmail.com